4 - CLASSIFICAÇÃO

As argamassas são classificadas segundo seu emprego, tipo de aglomerante, número de elementos ativos, dosagem e consistência.

Segundo sua consistência classificam-se em: secas, plásticas e fluidas.

Segundo o tipo de aglomerante classificam-se em: hidráulicas (que endurecem pela ação química exclusiva da água), aéreas (que endurecem pela ação química do CO2 do ar) e mistas (compostas por um aglomerante hidráulico e um aéreo).

Em relação ao seu emprego, encontramos argamassas para assentamento, argamassas para rejuntamentos, argamassas para revestimentos, etc.

4.1 - Argamassa de Assentamento

Propriedades

 

Em relação aos seus aglomerantes, as argamassas de assentamento podem ser:

 

 

4.2 - Argamassa de Revestimento

Revestimento é o recobrimento de uma superfície lisa ou áspera com uma ou mais camadas superpostas de argamassa em espessura via de regra uniforme, apta a receber, sem danos, uma decoração final.

Aderência é a propriedade do revestimento de resistir a tensões normais ou tangenciais nas superfícies de interface com o substrato.

Nas edificações, uma das maiores razões de falha das argamassas de revestimento está relacionada com a perda ou falta de aderência ao substrato. Assim, a capacidade da argamassa de atingir uma completa, resistente e durável aderência com a base talvez seja a mais importante propriedade concernente ao comportamento de um revestimento.

Funções

Ao longo do tempo, independente do tipo do material ou do uso à que se destina, deve-se exigir sempre as mesmas funções básicas dos revestimentos argamassados:

As camadas de constituição dos revestimentos são denominadas de emboço e reboco, podendo-se, caso necessário, aplicar previamente um suporte de revestimento (tela metálica, por exemplo) ou uma camada de chapisco. A função unir é básica nas argamassas de assentamento, entretanto pode ser estendida às argamassas de revestimento quando utilizamos o chapisco, responsável pela boa união entre os substratos de concreto e as camadas posteriores do revestimento.

 

Usos

Funções

chapisco

unir camadas de revestimento ao substrato

emboço

vedar a alvenaria, regularizar a superfície, e proteger a base

reboco

vedar o emboço e dar um acabamento estético

Usos

Entre outros usos importantes dos revestimentos argamassados, podemos citar:

Os revestimentos externos servem principalmente para aumentar a durabilidade da obra, reduzir a penetração da água da chuva e em certos casos, melhorar a aparência das bases de alvenaria.

Propriedades da argamassa de revestimento

Quando fresca

Quando endurecida

Resistência mecânica (capacidade de absorver deformações): É a propriedade das argamassas endurecidas de acompanhar a deformação gerada por esforços internos ou externos de diversas origens e de retornar à dimensão original quando cessam esse esforços sem se romperem, ou através do surgimento de fissuras microscópicas que não comprometam o desempenho do revestimento no que diz respeito à aderência, estanqueidade e durabilidade. A resistência mecânica é uma das principais propriedades responsáveis pelo êxito das argamassas nas diversas funções do revestimento, para tanto devem apresentar módulo de deformação compatível com cada função. As solicitações às quais encontram-se submetidas as argamassas de revestimento são:

  1. Movimentação volumétrica da base - a variação dimensional por umedecimento e secagem é a mais comum, que ocorre por ação dos agentes externos, como temperatura e umidade;
  2. Deformação da base - devido a deformação lenta do concreto da estrutura e recalques das funções;
  3. Movimentação do revestimento - ligadas às condições climáticas, as variações de temperatura provocam o fenômeno de dilatação e contração do revestimento;
  4. Retração do revestimento - tensões internas são provocadas pelo movimento de retração em conseqüência de uma diminuição de volume devido à perda de água para a base, por evaporação, e ainda devido às reações de hidratação do cimento. Quando as tensões internas atuantes no revestimento superam a sua resistência à tração, surge a fissura. A retração pode ocorrer após a secagem do revestimento, por variações no ambiente.

Caracteristícas de algumas argamassas

As argamassas de cal aéreas possuem mais coesão do que as de cimento, por esse motivo precisam de menor quantidade de aglomerantes para se obter uma massa com trabalhabilidade adequada para rejuntamentos e revestimentos.

Já argamassas magras de cimento, com acréscimo de cal, ficam mais trabalháveis.

As argamassas de cal retêm a água de amassamento por mais tempo. Quando estão secos, as pedras, os tijolos e os blocos de alvenaria absorvem com maior rapidez a água das argamassas de cimento do que das argamassas de cal.

Quando a argamassa de cal seca e endurece, geralmente ocorre uma diminuição de volume do material. Essa diminuição do volume será maior proporcionalmente à quantidade de cal e água usadas na mistura. Pode ocorrer o aparecimento de fissuras nesse tipo de argamassa quando o processo de secagem torna-se demasiadamente rápido devido à ação do sol e do vento ou quando a sua retração ( quando endurecido) for impedida.

Também pode haver danificação dos revestimentos externos de argamassa cal em locais atingidos pela água.

Uma argamassa com qualidade deve ter todos os grãos do material inerte (o agregado miúdo) envolvidos e aderidos pelo material ativo (a pasta) e os espaços entre os grãos do agregado miúdo devem ser preenchidos pela pasta. Para uma boa aderência entre o agregado e o aglomerante, é necessário que o primeiro esteja limpo e molhado pela água.

No caso das argamassas mistas o cimento é o aglomerado que tem maior resistência.

 

O desempenho das argamassas de revestimento

O desempenho de um produto é definido pelo grau de satisfação das necessidades do usuário. No caso dos revestimentos, a principal exigência de desempenho é a durabilidade, deve ser entendida como a aptidão de um produto em atender às necessidades de seus usuários, ao longo do tempo, no ambiente específico em que é empregado. Para a utilização de revestimentos com bom desempenho é preciso compreender as funções e propriedades das argamassas que os constituem e dos substratos que lhes servem de base. A avaliação de desempenho deve abranger a fase de construção e de uso do edifício.

Fatores que afetam o desempenho na fase de construção

O desempenho durante a fase de construção está ligado à facilidade de aplicação das argamassas, a qual está relacionada com os seguintes fatores:

Fatores que afetam o desempenho da fase de uso

Como exposto acima, a durabilidade é o principal requisito de desempenho exigido das argamassas de revestimento, que depende dos seguintes fatores:

Em cada um desses itens há um grande número de variáveis que não devem ser estudas em um único programa de testes. As manifestações patológicas dos edifícios tem mostrado que a aderência, em particular, tem efeito marcante na durabilidade dos revestimentos argamassados. E Os fatores que afetam a aderência podem ser divididos em três grupos:

 

 

 

 

 

Fatores que influem na resistência dos revestimentos e na sua evolução:

Quantidade de cimento - a resistência mecânica das argamassas (tração, compressão, abrasão e aderência) são melhoradas com o aumento do consumo de cimento.

Teor de cal - a resistência mecânica aumenta com pequenos volumes de cal na argamassa e decresce significativamente com teores mais elevados. Um teor equilibrado de Cal (0,25 a 1,0), confere ao revestimento um ganho de aderência, pois esse aglomerante aumenta a capacidade dos revestimentos de resistir a deformações. Há contudo que se ter cuidado com a cura pois a cal tem um endurecimento lento em presença o gás carbônico contido no ar. Somente após 30 dias ocorre a recarbonatação superficial completa do hidróxido de cálcio.

Incorporação de ar - esta propriedade diminui a massa volumétrica aparente da argamassa, tendo por conseqüência menor resistência mecânica.

Relação água/cimento - é um fator determinante de resistência mecânica. No entanto deve ser interpretado com reserva quando se trata de revestimentos. Nas argamassas ricas em aglomerante, maiores valores de aderência poderão ser conseguidos com um aumento de plasticidade (maior teor de água). Em revestimentos com argamassa pobre em aglomerante, só um ponto ótimo no fator água/cimento poderá incrementar a resistência mecânica sem prejuízo da trabalhabilidade, resultando na otimização da aderência.

Exemplos de argamassas de revestimento para fins decorativos

Atualmente dispõe-se de uma infinidade de opções de argamassas texturizadas. Muitas são encontradas prontas para a aplicação, algumas necessitam de preparo.

A aplicação das argamassas decorativas geralmente é feita sobre a parede já rebocada, geralmente seguem uma composição básica:

Algumas argamassas texturizadas podem receber pintura posterior à aplicação, qualidade esta que varia conforme a composição. A maioria dessas argamassas pode ser aplicada tanto em interiores como em exteriores.

Os efeitos texturizados são dados durante a aplicação da massa, com o auxílio de ferramentas como: rolos texturizados, rolos comuns, luvas, espátulas, rodos, desempenadeiras, etc...