Instalações de gás

            Essas instalações se destinam a distribuir o gás no interior dos prédios, para fins de aquecimento e para consumo em fogões, aquecedores de água e equipamentos industriais.
Atualmente é distribuído sob as seguintes formas:
           Gás de rua ou gás encanado: é extremamente cômoda para os usuários, que têm apresentado um sistema muito regular, sem a preocupação de evitar que por imprevisão venha a faltar o combustível.
            Gás liquefeitopetróleo de  - GLP, gás engarrafado: é uma mistura dos gases propano e butano de alto poder calorífico, que é fornacida em botijões, garrafões e cilindros e em certos casos em tanques especiais.
            É obrigatória a previsão do local do medidor individual, mesmo que não haja no local gás canalizado e a instalação vá utilizar inicialmente GLP.
            As caixas de proteção ou cabines dos medidores individuais poderão se rcolocadas no pavimento térreo em áreas de servidão comum dos andares no interior das respectivas economias.
Somente em casos exepcionais será permitida a localização de medidores em subsolo e rampas de garagem, desde que sejam assegurados o acesso, a iluminação e a ventilação
            Quando o edifício estiver habitado, poderá sr emitida uma conta única para o consumo de todo o prédio, ficando o rateio do consumo total por conta do consomínio ou dos proprietários.
            Deverá sempre haver registros especiais colocados em área de servidão comum que permitam fazer o corte de gás de cad economia individualmente.
            Os medidores serão abrigados em caixa de proteção ou cabines suficientemente ventilados, em local devidamente iluminado.

Utilização e adequações dos aparelhor aos ambientes
            Na instalação de aquecedores, toda a água deverá utilizar chaminé destinada a conduzir os produtos de combustão para o arlivre ou para o prisma de ventilação. Os aquecedores de água não poderão ser instalados no interior de boxes ou acima de banheira com chuveiro. Só serão permitidos aquecedores que tenham válvulas termostáticas de segurança do queimador principal. Todo ambiente que contiver aparelhos domésticos a gás deverá ter uma área total mínima permanente de ventilação de 800 cm², constituída por duas aberturas; uma superior, comunicando-se diretamente com o ar livre ou prisma de ventilação acima de 1,5 m de altura, de forma a permitir a circulação do ar ambiente, devendo a abertura inferior variar de 200 a 400 cm². Nos banheiros srá permitida a abertura superior em comunicação direta com o exterior, através de rebaixos, desde que haja seção livre mínima de 1.600 cm² até o comprimento máximo de de 4 m. Dependências com menos de 6 m³ não podem ter aparelhos em seu interior. Os banheiros com ventilação mecânica devem ter na parte inferior da port uma área de ventilação permanente igual a 600 cm². Os aquecedores não devem ser instalados imediatamente abaixo e sob a mesma vertical que passa pelos basculantes, janelas oupor quaisquer aberturas de ventilação do ambiente. No caso de ventilação mecânica, devem ficar pelo menos a 1 m ao lado da abertura de insuflamento de ar.

 Elaboração do projeto de instalações de gás
            No projeto, deve ser considerada a simbologia ver figuras da página 242, 143, 244, 245, 246, 247, 248. Talvez valesse a pena trocar algumas considerações escritas por exemplos práticos de desenhos de projetos.

 Sobre o GLP
            A utilização cada vez em maior escala do GLP se deve às vantagens que ele apresenta em relação à maioria dos combustíveis.
            - elevado rendimento;
            - elevado poder calorífico;
            - ausência de toxidez;
            - facilidade e rapidez de operação;
            - ausência de subprodutos de queima, sólidos ou corrosivos.
            No início era empregado apenas em residências isoladas. Hoje é empregado em edifícios de apartamentos e escritórios, seja em forma de instalações individuais ou em forma de instalação central.

            Formas de instalações do GLP

            Em residência de porte pequeno e médio: podem ser usados um botijão de 13 kgf além de outro como reserva alimentando o fogão e o aquecedor da cozinha, e um outro botijão com um de reserva para o aquecedor do banheiro, colocados externamente à casa. Não há rede interna de distribuição de gás. As ligações em tubo de cobre recozido vão da válvula do botijão até o aparelho a que servem.

            Em residência de grande porte: Faz-se uma distribuição alimentando a cozinha, banheiros, área de serviço e até mesmo aparelhos de calefação.
            Se o consumo for grande, podem ser utilizados cilindros em vez de botijões.
 

            Em prédios de apartamentos:
            * Instalação individual - cada apartamento tem o seu botijão de gás, com 13 kgf em áreas abetas de fácil acesso ou locais com abertura mínima de 0,50 x 0,12 m permitindo a saída de gases para o exterior. Existe o inconveniente de vaivém de botijões pela área de serviço do edifício.
            * Instalação coletiva - armazena-se o GLP em uma bateria de cilindros ou em tanques com capacidade equivalente, devendo haver sempre uma de reserva. Os cilindros ou tanques de serviço do prédio são colocados em área externa, podendo-se enterrar o tanque que será enchido pelo carro-tanque do fornecedor de gás liquefeito.

            O local escolhido para a instalação dos cilindros, deve possibilitar a dois homens carregarem os cilindros do caminhão à cabine, por caminho de acesso desimpedido e fácil. 

                       Exigências nas instalações de GLP:

            - Os cilindros ou botijões devem estar afastados , no mínimo, 1,5 m de tomadas, interruptores, chaves elétricas, ou qualquer aparelho sujeito a centelha ou chama.
            - As cabines para instalação externa de cilindros devem ser de material não-combustível e afastadas no mínimo 1 mde portas, janelas ou outras aberutras do prédio.
            - Ficar em nível mais alto que a do terreno.
            - Em torno da cabine de botijões ou cilindros, deve ser mantida uma área de segurança com pelo menos 1,20 m de largura de modo que nesse espaço não haja qualquer instalação em nível mais baixo, que armazene o gás que escape (sendo o gás duas vezes mais denso que o ar, tenderia a se acumular  em nível mais baixo). Então, nessa área não seria permitido haver fossas sépticas, caixas de inspeção, ralos, canaletas, caixas de gordura, etc.