JANELAS

MADEIRA

Histórico

A madeira é o material tradicional para janelas e é o primeiro material utilizado para a fabricação de caixilhos nas edificações. A madeira desempenhou uma grande importância nas construções antigas e até pouco tempo ela continuava sendo trabalhada artesanalmente.

Com o desenvolvimento tecnológico de outros materiais, a madeira começou a sofrer concorrência dos outros materiais, mas nos últimos anos o seu uso tem se fortalecido tornando-se o material mais nobre na fabricação de esquadrias.

Características

A matéria-prima das esquadrias, a madeira, é encontrada, principalmente na região amazônica, embora os grandes fabricantes mantenham suas instalações industriais no Paraná e Santa Catarina.

As janelas de madeira são escolhidas, antes de tudo, pelo custo e facilidade de manuseio e, em menor escala, pela durabilidade. O seu aspecto, só influi nas madeiras que vão ficar à vista, sem pintura.

Na fabricação de esquadrias tem que se levar em conta dois critérios: a resistência á umidade e a sua maneabilidade na fabricação. Com essas duas qualidades, os fabricantes buscam espécimes que respondam as suas necessidades industriais. As madeiras que têm sido mais usadas são o mogno e a imbuia.

Processo de fabricação

Para iniciar-se o processo de fabricação, a madeira deve estar seca, pois se ao iniciar a fabricação dos perfis e a madeira ainda estiver verde, ela continuará o seu processo de secagem, podendo sofrer deformações irreversíveis.

A primeira etapa do processo de fabricação é quando ocorre o corte que dará forma aos perfis. Depois a madeira deverá passar por um tratamento anti-séptico que a protegerá de ataques de insetos e microorganismos. O tratamento da madeira é feito pela imersão total das peças em tanques que contenham os produtos químicos que irão dar proteção. Após receber o tratamento, as peças passam por máquinas que eliminam possíveis deformações dando o acabamento desejado aos perfis de madeira. Com as peças acabadas, inicia-se o processo de montagem e colagem da esquadrias.

Ao chegar na obra, a madeira é entregue sem qualquer proteção superficial e a pintura ou o envernizamento definitivo é feito após a instalação.

Madeiras utilizadas em esquadrias

Sem tratamento preservativo

Angico preto

Capriúva vermelha

Combarú

Coração de negro

Guarantã

Ipê-roxo

Jatobá

Piquiarana

Sapucaia vermelha

Vinhático

Capriúva parda

Caviúna

Copaíba

Faveiro

Ipê-pardo

Mogno brasileiro

Piquiá

Sacambu

Sapucai amarela

 

Com tratamento preservativo

Canafístula

Freijó

Pelada

Pindabuna

Caovi

Oiticica amarela

Peroba rosa

 

 

AÇO

Histórico

As janelas metálicas são de notável antigüidade e surgiram a vários séculos atrás. Depois caíram em desuso durante um longo período até aparecer de novo na Segunda metade do século XIX.

Inicialmente eram produzidas artesanalmente, sob medida. As esquadrias eram rebuscadas no estilo e no desenho, muito diferente dos padrões de hoje. Somente nos últimos 40 anos, os perfis tubulares e os perfis abertos obtidos a partir de chapas de aço, passaram a ser utilizados na fabricação de esquadrias no Brasil. Somente há duas décadas atrás, as esquadrias começaram a ser industrializadas e de formatos padronizados.

O aço veio a substituir as antigas esquadrias de ferro, oferecendo várias vantagens e concorrendo em igualdade de condições de resistência e de desenvolvimento tecnológico com outros materiais.

Características

O aço é essencialmente constituído de Ferro (Fe) e Carbono (C) e diminutas quantidades de outros elementos sempre presentes como o Manganês (Mn), Fósforo (P), Enxofre (S) e Silício (Si).

A adição de Cobre (Cu) concede características de maior resistência do composto à corrosão, entre outras dezenas de adições que são usualmente feitas nas siderúrgicas, cada qual visando à obtenção de determinados comportamentos do material. O aço utilizado em esquadrias também pode ser revestido de Zinco (galvanização), que lhe garante maior resistência á corrosão.

Processo de fabricação

Acabamento

As esquadrias feitas sob medida, nas serralherias, não recebem qualquer tipo de tratamento superficial, sendo preciso superdimensionar as espessuras das chapas e perfis utilizados. Estas esquadrias requerem manutenção peri´9odica e mesmo assim são mais fáceis de se deteriorar por oxidação que as esquadrias industriais.

As esquadrias industriais, passam por um rigoroso tratamento na superfície das chapas de aço, tanto externa como internamente, aumentando a sua resistência á corrosão e dispensando a manutenção e repintura freqüentes.

 

ALUMÍNIO

Histórico

O crescimento do uso do alumínio surgiu no final do século XIX e hoje é o metal mais utilizado para diversas aplicações. No Brasil, só eram produzidas esquadrias de aço e de madeira devido á abundância de matéria-prima no país. O alumínio só foi introduzido na década de 50 apenas como um componente das esquadrias de aço. Com o desenvolvimento da tecnologia, as esquadrias de alumínio foram se aprimorando e ganhando espaço no mercado.

Características

A matéria-prima do alumínio é a bauxita, um dos minérios mais abundantes na crosta terrestre, e após passar por um processo é transformada em Alumina, tornando-se a matéria básica para a produção de alumínio.

A intensificação do uso do alumínio em esquadrias se deve à facilidade de conservação do material, à sua leveza e grande resistência mecânica, que lhe permite facilidade de manuseio e colocação; à durabilidade do material, imune à ação das intempéries ou quaisquer outros agentes agressivos naturais como a maresia e a poluição; sua estabilidade dimensional, bem como as formas e acabamento que o alumínio permite na fabricação das esquadrias.

Processo de fabricação

O processo de fabricação dos perfis de alumínio é feito por extrusão em forma de barras, com uma composição que atenda as necessidades físico-químicas de um perfil para esquadrias.

Etapas de fabricação

Acabamento

O alumínio apresenta boa resistência à corrosão atmosférica devido á formação na sua superfície de uma camada de óxido protetor. Esta proteção natural pode ser melhorada através da anodização do alumínio, processo no qual são obtidos camadas de óxidos com espessuras bem superioras àquelas naturalmente formadas, aumentando, ainda mais, a resistência à corrosão.

A coloração da peça de alumínio pode ser feita de forma orgânica ou inorgânica eletrolítica.

O alumínio deve passar pela etapa de selagem, que consiste num processo onde deve haver o fechamento dos poros dando-lhe maior qualidade `anodização e resistência às intempéries.

A pintura eletrostática é processo maios utilizado na coloração e proteção do alumínio. A pintura é aplicada em cabinas e ferramentas especiais com tinta eletrostática, um líquido ou um pó que possuem um grande variedade de cores e tipos de tinta com características específicas para cada finalidade.

 

PLÁSTICOS

Histórico

O Policloreto de Vinila (PVC) é o plástico mais utilizado na fabricação dos perfis para esquadrias em todo o mundo. As esquadrias de PVC começaram a surgir nos anos 50 e 60 na Alemanha Ocidental. No início o PVC foi pouco utilizado no mercado, mais só nos anos 70 houve uma fase de rápido desenvolvimento, atingindo 45% do mercado nos anos 80. A partir daí, o PVC propagou-se pela Europa e Estados Unidos, sempre conseguindo parcelas significativas dos mercados locais.

No Brasil, as primeiras tentativas de produção e comercialização de perfis de PVC, datam de meados da década de 70, porém, os produtos da época apresentavam características de qualidade consideravelmente diferentes das atuais.

Características

Uma das principais características do PVC é a vantagem de que as cores utilizadas sejam conseguidas a partir da pigmentação da própria matéria-prima, não requerendo qualquer espécie de pintura após a fabricação0. Durante muitos anos a cor do caixilho se mantém, com custos de manutenção mínimos, apenas com simples lavagens e sem precisarem de pintura ou repintura periódicas.

Outras importantes vantagens do PVC é a sua estabilidade dimensional, tendo uma boa resistência às oscilações de temperatura e de umidade, a sua capacidade de fabricação de perfis que proporcionem isolamento termoacústico e proteção contra incêndios devido ás suas características de se auto-extinguir.

Processo de fabricação

Os perfis de PVC são obtidos através do processo de extrusão. A qualidade do material depende essencialmente da mistura de materiais básicos, oPVC e o seus aditivos.

Etapas de fabricação

 

VIDROS

O vidro plano foi inicialmente produzido no século XI, e o processo , artesanal, não produzia um vidro de boa qualidade, apresentando distorções. Os métodos de fabricação do vidro foram se aperfeiçoando até hoje, onde podemos obter vidros de ótima qualidade e transparência.

O vidro está presente na arquitetura sob diversas formas, desde sua aplicação em janelas, sob a forma de lâminas, chapas planas ou curvas, até sua utilização na forma de blocos e mesmo de fibras e podem ser usados para diversos fins. O vidro se apresenta com as mais diversas características, em dois grupos, os grupos comuns e os Float, de qualidade superior, com menor porcentagem de defeitos de distorção de imagem em função do paralelismo de suas faces.

Tipos de vidro:

 

 

PORTAS

MADEIRA

Os marcos das portas de externas fazem-se de madeira dura, resistente às intempéries. No sul do Brasil, emprega-se o louro, a cabriúva, o angico e outras essências. O cedro esta sendo muito usado na atualidade em virtude da escassez e do alto preço das madeiras duras. O uso do pinho está restrito às construções de madeira.

As folhas fazem-se geralmente de louro, porém nas construções de menos importância ou quando há razões de economia, encontram-se também de cedro ou de madeira compensada. O pinho tem o inconveniente de empenar facilmente, exigindo o emprego de espessuras mais fortes.

FERRO

São usadas somente nos edifícios luxuosos e nas instalações industriais. Os marcos são feitos de ferro chato e possuem exteriormente uma cobrejunta. Prendem-se à alvenaria por meio de pinos de fixação colocados na sua parte interna. Podem ser feitos também com ferros T ou Z fixados à alvenaria.

As folhas são formadas por um quadro feito de cantoneiras subdivido em painéis por meio de travessas de ferro T, sobre o qual são fixados os quadros de vedação, com 3 a 7 mm de espessura.

Os materiais utilizados em portões geralmente são a madeira e o ferro, e estes são feitos de chapa ou de grade.

Madeiras usadas em portas: